antibioticoteraia-e-infeccao-hospitalar

Infecção tratada com antibioticoterapia e cuidado

Você certamente já ouviu falar sobre o que é a infecção hospitalar e antibioticoterapia. Vamos te explicar melhor sobre o assunto e dar dicas de como evitá-la

Qualquer pessoa pode ser vítima de infecção, porém ela é mais comum em pacientes com sistema imunológico em baixa ou que usam o mesmo antibiótico por muito tempo, pacientes entubados, e os que fazem uso de sondas ou cateteres. Infecção hospitalar é a proliferação de microrganismos (vírus, bactérias, protozoários ou fungos) no corpo do ser humano que acontece com grande frequência, como o nome diz, dentro dos ambientes hospitalares.

antibioticoterapia

Porém, esses microrganismos multirresistentes podem ser encontrados tanto em ambiente hospitalar quanto fora deste contexto. Entretanto, como dentro de hospitais a proximidade com outros pacientes doentes é maior, e ficando muitas vezes por longa permanência internados, esses pacientes também podem virar colônia para bactérias mais resistentes, ou seja, o risco pode ser bem maior. Inclusive, este é um dos grandes desafios para os hospitais: o controle de infecções.

O diagnóstico é feito das seguintes formas:

  • Observação geral e clínica do paciente,
  •  Monitoramento e análise do prontuário,
  • Análise de exames laboratoriais.

Antibioticoterapia para tratar e prevenção para não proliferar

O uso racional e bem orientado dos antibióticos podem trazer inúmeros benefícios para a vida dos pacientes em tratamento, isso para qualquer faixa etária, inclusive idosos. É comum acontecerem casos de infecção hospitalar, apesar das medidas que tem sido tomadas com o objetivo de diminuir cada vez mais as estatísticas. Para evitar, é importante que sejam tomadas algumas medidas, entre elas:

  1. O isolamento de pacientes portadores de infecção é uma das formas de se prevenir a proliferação,
  2. Processos de desinfecção e limpeza corretos para diminuir as chances de desenvolvimento dos microrganismos,
  3. A higienização correta das mãos, tanto no modo de fazer quanto na frequência são fundamentais para se evitar infecção. Te ensinamos como deve ser feita a limpeza correta logo abaixo! Continue lendo

Leia mais

home care familia em casa

Por que uma home care é a melhor opção?

Home care: você sabe o que é? Quais são as facilidades que a mesma pode te oferecer? E, quais o benefícios de se contratar uma? Nós, da Cuidar Center Care, vamos te explicar isso e vamos mostrar por que você deve escolher a gente

Primeiro, vamos tentar entender o contexto em que se utiliza o serviço de home care. Se você perguntar aos pacientes aonde eles preferem ficar, todos eles terão uma única resposta: prefiro ficar em casa. Algumas pessoas podem não compreender o porquê dessa resposta, pois, acreditam que hospitais e determinadas casas de tratamento são as melhores opções, devido a “sensação de segurança” que estes estabelecimentos passam. Entretanto, nós entendemos este sentimento e sabemos alguns dos motivos pelos quais o paciente, acima de qualquer coisa, preferem estar em casa.

 A nossa casa é basicamente o lugar onde conseguimos associar diversos sentimentos e sensações relacionadas às boas memórias e ao conforto. Justamente por isso, os pacientes conseguem ter uma melhora significativa, quando estão em suas próprias casas. Para os idosos, estar em casa é fundamental, pois, muitas vezes, eles viveram ali por mais de uma 30 ou 40 anos, e tudo está do jeito que ele deixou, do jeito que ele gosta. E, para contribuir para uma melhoria na saúde, nada melhor do que deixá-lo confortável no lugar que ele gosta de estar. Além disso, a desospitalização é hoje a alternativa para se evitar longa permanência em hospitais.

Entenda que é melhor evitar a sobrecarga em você 

Justamente por isso, a home Care é o serviço indispensável quando o assunto é conforto e qualidade de vida para o tratamento domiciliar ou acompanhamento de pacientes com necessidades específicas no que se refere à saúde dos mesmos. Os benefícios são tanto para o paciente, quanto para os familiares. Na rotina do cuidado domiciliar você contará com uma equipe de profissionais da saúde, entre cuidadores e enfermeiros que estará sempre pronta para monitorar, atender e entender as necessidades que surgirem e fazer as considerações que forem adequadas à cada situação. Além disso, você poderá ter o que chamamos de equipe multidisciplinar, que são profissionais com formações diferentes para atender às demandas mais específicas,  desde médicos, fisioterapeutas, nutricionista, até terapeutas para o aconselhamento à família para entender melhor a situação do paciente e o que ele precisar para conseguir melhorar gradativamente ou ficar mais confortável.home-care-integracao-das-partes

Mas, se você está pensando em fazer tudo sozinho, vale lembrar que você até tem a opção de fazer a contratação por conta própria para o atendimento domiciliar, desde de todos os profissionais à estrutura, mas você terá que assumir toda a responsabilidade em todo o processo: sobre os profissionais, escala, contratação entre diversos outros. Por isso e para evitar a sobrecarga você pode contratar a nossa empresa, a Cuidar Center Care para fazer toda a gestão para você.  E acredite, nesse caso é sempre melhor contratar uma empresa que entende e evitar problemas por falta de informação. Veja alguns motivos para contratar os nossos serviços e evitar as outras opções:

Conforto

Já falamos acima e ainda é bom reforçar: estar em casa é sempre melhor para a recuperação e manutenção da saúde do paciente, pois o lugar é familiar, e não um ambiente estranho, como hospitais ou casas de tratamento. Em casa, o paciente terá contato com sentimentos, lembranças, com objetos de valor emociona como móveis, livros, fotos, cadernos, cheiros tudo auxilia no aumento do conforto e da recuperações dos pacientes. É importante entender o tratamento em todo contexto que está envolvido, tendo a visão de integração, pois sabemos que não se trata de apenas uma área a ser cuidada. Falamos um pouco sobre cuidados leia aqui.

Recuperação mais rápida

Já ouviu dizer que quando estamos em casa, tem sempre algo a se fazer? Pois então, pesquisas apontam que quando a recuperação (principalmente de idosos) é em casa, a velocidade na recuperação pode chegar a ser mais rápida do que em um hospital. Justamente para voltar a ter um pouco de sua vida em casa normalmente.

Independência

Quando a pessoa conhece sua casa, muitas vezes é necessário apenas algumas adaptações para que ela possa se locomover e fazer atividades simples, como andar em sua própria residência. Falaremos sobre isso em outra postagem.

Envolvimento com a famíliaatendimento-domiciliar-presenca-familia

A família pode deixar de ser, como em diversos casos, apenas expectadora da situação para passar a ser mais atuante, parte fundamental do processo de recuperação, porém sem ter estresse com os profissionais, porque toda essa parte fica por conta da nossa empresa.  Com isso a sobrecarga é bem menor e os familiares tem tempo para cuidar do mais importante: estar ao lado e aproveitar os momentos com a pessoa que ama. Muito além de auxiliar, por exemplo na administração, o familiar se envolve emocionalmente, quando auxilia por exemplo, nas atividades fisioterapêuticas que o paciente possa necessitar. Essas interações favorecem à manutenção da saúde do paciente, sem prejudicar o familiar.

Investimento

Muitas vezes, dependendo da quantidade de horas e da necessidade, fazer um contrato particular pode lhe dar muita dor de cabeça. Principalmente, quando se trata de direitos trabalhistas e afins. Contratando uma home care, é muito mais simples. Aqui, na Cuidar Center Care já temos todos os processos bem estruturados, pois são mais de dez anos de experiência. Entendemos bem como resolver problemas em diversas situações, justamente por isso,  todos os benefícios compensam e muito o investimento. Somos muito criteriosos em nossos processos e você também participa conosco, aqui mostramos algumas dicas que seguimos à risca antes da contratação.

Estrutura

Hoje, graças à tecnologia é possível montar toda a estrutura necessária para o paciente em casa. E nós, da Cuidar Center Care faremos isso para você, por isso mesmo não estando num hospital você consegue ter todo suporte necessário, desde os equipamentos básicos até estruturas mais complexas.

Então, entendeu alguns dos porquês de se contratar uma home care? Se ficou com alguma dúvida entre em contato com a gente. Se preferir, ligue para nós 31. 2514-4921 no horário comercial ou 31. 97531-0259 qualquer hora e dia, atendimento 24 horas.

Para saber mais, acompanhe as notícias da Cuidar Center Care para os idosos, familiares e profissionais de saúde aqui no blog e também no Facebook e fale conosco sempre que precisar!

cuidado-paliativo

Você sabia que os cuidados paliativos vão muito além de cuidados físicos?

O sentido nobre para os cuidadores de idosos e profissionais da saúde ao trabalharem com cuidados paliativos

O processo do fim da vida deve ser cuidado da mesma maneira, ou até melhor, do que se trata a vida, e isso é feito com os cuidados paliativos. Esse assunto muitas vezes ainda é pouco falado ou estudado em nosso país. Para que você tenha ideia, o Brasil há alguns anos era o terceiro pior lugar do mundo para morrer, ficando atrás apenas de Uganda e Índia.

O profissional da saúde não pode tirar a dor da pessoa, mas pode amparar para que o paciente tenha dentro do possível, qualidade de vida antes da morte. O sofrimento que não é minimamente cuidado ou não tem a devida atenção pode gerar a vontade de morrer.

Quando estão limitadas as pessoas ficam muito mais sensíveis e, essa sensibilidade aumenta a percepção, vamos lembrar que estamos tratamento de relações humanas, então para elas é bem mais fácil perceber quando o cuidador ou profissional de saúde que a acompanha está minimizando a verdade ou não está ali presente e inteiramente dedicada no lugar, na rotina. Pense como deve ser importante para o idoso, ou a pessoa em cuidado, ter segurança e confiança de que está sendo bem cuidada e amparada.

Entenda o sentido de se fazer e ter o cuidado paliativo

O significado da palavra paliativo é eficácia momentânea e incompleta; meios ou métodos que trazem melhoras, mas não eliminam a causa.

O cuidado paliativo é a assistência à saúde que cuida do idoso ou pessoa em qualquer faixa etária, com doença grave, incurável, em progressão e ameaçando a continuidade da vida. É observada a perspectiva de vida (anos, meses, dias, horas) do paciente e tenta-se trabalhar com um tratamento multiprofissional que tem o objetivo de melhorar a qualidade de vida do paciente, não apenas física, mas inclusive de significados e sentido existencial.

Áreas fragilizadas

Quando o indivíduo sente a real percepção de que a morte está mais próxima, e essa percepção de fato acontece, quando ele sabe que a doença é grave, todos esses sentimentos trazem sofrimento para ele. O sofrimento:

  • Emocional – Busca entender o porquê da morte, doença estar acontecendo
  • Físico – O corpo e as dores
  • Familiar – A falta, o lugar não preenchido dessa pessoa
  • Social – Entre as pessoas da convivência saudável que podemos ser sem máscaras
  • Espiritual – O sentido de ser e a possibilidade e entrar no estado de amorosidade, essência do ser.

7

O sofrimento espiritual, muitas vezes subestimado deve ser considerado, apesar de ser pouco ou nada falado pelo profissional da saúde.

No fim da vida, independente do histórico da vida, a pessoa quando está próxima de morrer, vai entrar na essência do ser, no estado da amorosidade. E possibilitá-la a fazer alguns ajustes, nos últimos dias a pessoa não vai querer saber de dinheiro, carro, ela vai querer amar, se sentir amado, perdoar ser perdoado, agradecer, se despedir. O cuidador e toda a equipe de profissionais é quem pode orientar e dar suporte nesse sentido também.

Para ser tratado de maneira mais completa, o paciente normalmente vai precisar de uma equipe multidisciplinar. O bom profissional vai saber diagnosticar, ouvir e direcionar à outras especialidades. Além dos cuidados básicos, a perspectiva bem orientada ao cuidador de idosos, sabe que o foco do seu trabalho não está na doença do paciente, sabe que o mais importante é o indivíduo, aquela pessoa para o qual ele se propôs a cuidar.

“Olhar” para o paciente e não para a doença. Perceber anseios e necessidades, que muitas vezes não são ditas.

 

Conhecer o perfil do profissional de saúde é fundamental

A formação técnica, com boa qualificação, vocação e talento são fundamentais. E a empatia altamente aplicada e de forma equilibrada para ambas as partes. Além disso, a união familiar ajuda no processo do paciente, ao passo que o equilíbrio é percebido quando comparados tratamentos com e sem a participação de pessoas queridas próximas.

A origem da palavra paliativo vem do latim, Palium, que é o manto que era colocado nas costas dos cavalheiros para proteger das intempéries. Assim é a natureza da doença. O paliativo cuida, protege, mas não impede a doença. 

 

Classificação de cuidados

São considerados, basicamente, 4 níveis de cuidados paliativos:

  • Assistência ambulatorial,
  • Assistência domiciliar,
  • Ajustes rápidos,
  • Hóspice –  esse último já na fase final de vida.

Médico, enfermeiro, psicólogo, ou serviço social, por exemplo, podem compor uma equipe básica, mas para cada caso é estruturada uma equipe multidisciplinar.  Fisioterapeuta, terapeuta ocupacional, dentista, nutricionista, fonoaudiólogo, farmacêutico, podem ser chamados pontualmente. Existe também o profissional de capelania. No atendimento domiciliar, esses recursos humanos tendem a ser ampliados até que no hóspice, se tenha o máximo de pessoas envolvidas na equipe, dependendo do caso. Em outra postagem, leia aqui falamos sobre o processo de desospitalização, que ampara e monitora de forma constante o paciente.

5O cuidado paliativo não vai acabar com a dor, mas vai ajudar o paciente a retomar a sua vida. É a chance em vida, a oportunidade que aquela pessoa tem de acertar, fazer alguns ajustes em vida, entender e aceitar a morte antes de partir.

Durante os processos e tratamento, e equipe tem de estar preparada para fazer ajustes. Oque se busca é controlar a dor do paciente, a ajuda da terapia ocupacional, orientação para que o paciente ou idoso faça o gasto equilibrado de energia, processos de reabilitação, o autocuidado, e para cada caso usar a estratégia que serão saudáveis para a energia do paciente.

Ao contrário do que muitos dizem, os índices de estresse profissional de quem trabalha com cuidados paliativos é um dos mais baixos. Aí está a diferença de um bom profissional, ele vai entender que ele não trabalha com a morte, ele trabalha com pessoas em condições terminais realizando um trabalho ético e consistente, valorizando a vida, estando ali do lado. Ele trabalha com a vida.

Lembrando sempre que cada paciente é único, e apenas o profissional da saúde qualificado poderá diagnosticar, tratar e acompanhar de forma consistente o paciente. Consulte seu médico a respeito disso, cada caso é um e este texto não substitui a orientação do seu médico.

Deixe seu comentário e sua sugestão aqui no blog ou na nosso Facebook. Vamos continuar falando sobre esse e outros assuntos em nossas postagens. Acompanhe as notícias da Cuidar Center Care para os idosos, familiares e profissionais de saúde aqui no blog e também no Facebook.

A desospitalização do idoso e a home care

Razões pela qual a  desospitalização do idoso e a contratação de uma home care é uma alternativa viável.

Promover uma desospitaliação segura para os idosos, optando pela internação domiciliar com o cuidador ou com a equipe de profissionais recomendada pelo médico, oferecendo conforto e tranquilidade de uma home care, tem sido a opção de um número cada vez maior de famílias brasileiras, e apesar de ser uma opção nova no Brasil, países como os Estados Unidos já percebem esse tipo de serviço aderido ao estilo de vida, pois lá, ele já existe há mais de um século, ou seja, podemos olhar e perceber a importância de se ter qualidade e conforto ao longo da história do home care norte americano.

Optar pela desospitalização é escolher pelo melhor atendimento e cuidados para saúde, dispondo de monitoramento constante com estrutura moderna e os melhores equipamentos em casa. E, quando a decisão de se contratar os serviços de internação domiciliar é tomada, surge a figura do cuidador de idosos, como companheiro e profissional que presta o serviço de atendimento domiciliar.

equipamentos-home careCom a home care evita-se a permanência prolongada dentro dos hospitais, sem romper o tratamento e os cuidados necessários ao paciente, entretanto, para continuar a obter os bons resultados, da mesma forma que em um hospital, o paciente precisa estar cercado de profissionais capacitados, com o suporte de uma equipe multidisciplinar com a mesma qualidade, tecnologia e conhecimento.

Fazendo um paralelo entre os benefícios percebidos, podemos citar a diminuição dos riscos de infecção hospitalar, o atendimento próximo e humanizado ao paciente, a possível diminuição de complicações clínicas, a possível rapidez na recuperação de tratamentos específicos e redução de reinternações por questões que podem ser resolvidas no próprio domicílio.

É importante ressaltar que a desospitalização não significa dar alta precoce para o paciente, e sim humanizar seu processo de recuperação. Em casa, ele pode receber todo cuidado que necessita de profissionais especializados e com a atenção e apoio da família. Além disso, o atendimento prestado em domicílio equivale ao prestado no hospital, sem os riscos de um ambiente hospitalar.

Leia o outro artigo que publicamos sobre esse mesmo tema clicando aqui!

Para saber mais, acompanhe as notícias da Cuidar Center Care para os idosos, familiares e profissionais de saúde aqui no blog e também no Facebook

Mês do idoso

Conheça os profissionais que cuidam do idoso

Em diversas áreas da saúde existem diversos especialistas que atendem à diferentes demandas. Na área de atenção geriátrica, foco de atuação da Cuidar Center Care, e também em atendimento pós cirúrgico e reabilitação, existem 3 tipos de profissionais envolvidos nas atividades diárias do paciente. São eles: cuidadores de idosos, técnicos de enfermagem e enfermeiros.

Antes de contratar um auxiliar, é fundamental entender a diferença entre os profissionais. O cuidador de idosos não tem, necessariamente, que apresentar uma formação superior, entretanto passa por uma série de cursos e especializações para administrar e auxiliar em situações diárias com o paciente.

Entre as funções do cuidador estão a administração de medicamentos e cuidados preventivos de saúde sob supervisão de um profissional especializado. Além disso, o cuidador auxilia nas atividades diárias, como rotinas de higiene pessoal, ambiental, de nutrição e locomoção. É papel deste profissional prestar apoio emocional e promover a convivência social do idoso.

Já o técnico de enfermagem passa por um curso com duração média de 2 anos, e está apto principalmente a atender pacientes de média e alta complexidade. Esse profissional pode fazer procedimentos mais simples e pequenas intervenções, e dependendo de sua especialização, pode atender em casa e atuar no segmento hospitalar.

O enfermeiro é formado em um curso que dura 5 anos e pode se especializar em saúde do idoso. Este profissional está preparado para prestar atendimento a pacientes que apresentam um quadro mais grave e consegue realizar procedimentos mais complexos, além de supervisionar equipes compostas por auxiliares e técnicos. Sua atuação pode ser em casa e também hospitais, inclusive em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs).

Para saber mais, acompanhe as notícias da Cuidar Center Care para os idosos, familiares e profissionais de saúde aqui no blog e também no Facebook

Mês do idoso

Mês do idoso na Cuidar Center Care

O Dia Mundial do Idoso é 1o de outubro – data em que foi instituído, em 2003, o Estatuto do Idoso – mas setembro é o mês de celebração daqueles que hoje são conhecidos como pessoas da Terceira ou Melhor Idade. É neste período quem, em várias cidades do mundo, são levantadas e debatidas questões acerca dos idosos, como políticas de proteção e segurança, entre outros temas que afetam diretamente a qualidade de vida de quem já passou dos 60 anos.

Abrimos o blog da Cuidar Center Care exatamente neste mês e vamos abordar assuntos relevantes, como a importância da serviços complementares como nutrição, da fisioterapia, da fonoaudiologia e outras profissões que, associadas à geriatria e gerontologia, resultam em maior longevidade e melhor qualidade de vida para os idosos. Levantamos também a questão da atenção da família e do idoso, do ambiente onde ele está inserido e os cuidados no dia a dia que podem evitar acidentes e incidentes dentro e fora de casa.

Com relação ao mês do idoso, vale lembrar que já são 12 anos de vigência do Estatuto do Idoso, quando o Brasil começou a incorporar em sua legislação uma série de resoluções de organizações internacionais, como a Organização das Nações Unidas (ONU) e a Organização Mundial da Saúde (OMS). Essas resoluções dizem respeito aos direitos dos idosos no que tange às questões ligadas à saúde, convívio familiar, abandono, sexualidade, aposentadoria, entre outras, e são regidas por dois princípios que são:

 Autorrealização:

  • Aproveitar as oportunidades para o total desenvolvimento das suas potencialidades;
  • Ter acesso aos recursos educacionais, culturais, espirituais e de lazer da sociedade;

 Dignidade:

  • Poder viver com dignidade e segurança, sem ser objeto de exploração e maus-tratos físico ou mentais;
  • Ser tratado com justiça, independentemente da idade, sexo, raça, etnia, deficiências, condições econômicas ou outros fatores.

Para saber mais, acompanhe as notícias da Cuidar Center Care para os idosos, familiares e profissionais de saúde aqui no blog e também no Facebook