Diabetes, a doença silenciosa

No mês de novembro muito se fala sobre o Diabetes, uma doença silenciosa, que muitas vezes é desenvolvida devido a maus hábitos alimentares

Imagine que neste momento enquanto você está parado, assistindo a TV ou lendo um livro, no interior do seu corpo, suas células e seus órgãos, estão trabalhando insanamente para que você possa continuar a ler e a assistir a TV. Entretanto, enquanto você não sente, pode ser que algumas doenças, possam estar se desenvolvendo em seu corpo, umas das doenças que fazem isso é o Diabetes.

A síndrome metabólica de origem múltipla, também conhecida como Diabete Mellitus pode estar associado a problemas genéticos, a uma falta de bons hábitos alimentares e a gestação (por mais surpreendente que seja). Neste texto, você poderá conferir mais sobre a doença e entender os sintomas.

Entretanto, devemos ressaltar que os sintomas apresentados neste texto, podem se referir a outros tipos de doenças também, por isso, qualquer diferença em seu corpo, ou se notar diferença no comportamento de um familiar, vá ao médico ou converse com o seu familiar para realizar um checkup mesmo que você (ou seu familiar) não goste de médicos (vamos falar sobre isso em breve).

Mas como isso funciona?

pancreas

Como seu pâncreas funciona

O seu pâncreas é responsável por produzir um hormônio chamado insulina que tem como missão levar o açúcar presente em seu sangue para as suas células. Esse açúcar, será fonte de energia para suas células, por isso, o pâncreas precisa funcionar corretamente.

Porém, pode acontecer por fatores genéticos, que o seu pâncreas não consiga produzir a insulina suficiente para levar este açúcar às células, ou ainda, que você consuma muito açúcar diariamente e a quantidade de insulina produzida por você não seja suficiente para conduzir este açúcar produzido em grande quantidade para o seu sangue então, a partir daí seu corpo começa a rejeitar a insulina. Nestes dois casos o final é sempre o mesmo: a açúcar aumenta em seu sangue e então você desenvolve o diabetes.

Algumas pessoas acreditam que diabetes é sempre o mesmo, porém, o diabetes pode se apresentar de três maneiras distintas: Diabetes tipo I, Diabetes tipo II e ainda a Diabetes Gestacional. É importante ainda falar em um estágio extremamente importante chamado Pré-diabetes.

Novidade: Pâncreas artificial poderá ser comercializado no Brasil

Já testado e utilizado em outros países, a boa notícia é que o Pâncreas artificial,  que é um dispositivo para monitorar  níveis de glicose no sangue para diabéticos do tipo 1 e também  para ajustar os níveis de insulina injetados no organismo poderá ser comercializado no Brasil. Atualmente, o produto ainda não é vendido, mas a previsão é de que até 2018 ele já esteja sendo disponibilizado, segundo o artigo publicado em julho deste ano, da revista científica “Diabetologia”.

E para que a liberação do pâncreas “artificial” possa acontecer, faltam alguns pequenos ajustes: tempo e velocidade de ação da insulina usada, precisão dos monitores,  proteção e segurança cibernética do produto, entre outros.

O que é a Pré-diabetes?

saude

A prevenção está na alimentação

A pré-diabetes é um estágio entre você continuar a viver uma vida saudável ou você desenvolver a doença. Este
estágio é comum na no tipo II da doença (que falaremos mais a frente) e é definido da seguinte forma: quando as taxas de açúcar no sangue estão muito altas, geralmente a pessoa é enquadrada, como diabético, tendo que seguir um tratamento à risca para que não venha a desenvolver mais problemas (lembre-se que o diabetes pode ser fatal).

Entretanto, se as taxas estiverem altas, mas não o suficiente para classificar o indivíduo como diabético, ele se enquadra no que é determinando pré-diabetes. Entretanto, estes casos só acontecem no tipo II, por que no tipo I, os sintomas são outros.

Diabetes Tipo I

O diabetes tipo I, ocorre quando a produção de insulina não é suficiente para conseguir levar o açúcar presente no sangue para as células. O que acontece é que o pâncreas perde a capacidade de produzir a insulina, devido a um problema que ocorre com o sistema imunológico do paciente onde os anticorpos, que são as células que protegem o nosso corpo, acaba por atacar as células que produzem este hormônio.

Insulin dependent Diabetes patient abdomen injection

Insulinodependente aplicando o hormônio (insulina)

 Isso acontece por que os anticorpos não reconhecem estas células como parte do organismo e sim como um corpo estranho. O diabetes tipo I acorre em cerca de 10% dos pacientes, sendo que neste tipo, os portadores da doença, podem chegar a precisar de injeções diárias de insulina para que o organismo continue a manter os níveis de açúcar no sangue normais. Este é o tipo de diabetes que pode ser diagnosticado em qualquer pessoa, porém sua incidência é com crianças, adolescentes e adultos mais jovens.

Diabetes Tipo II

Diferente do Diabetes Tipo I que é um problema genético, o diabetes tipo II está associado à forma como você leva a sua vida. Se você pratica atividade física e possui uma boa alimentação, você consegue evitar que esta doença apareça. A diabetes tipo II funciona da seguinte forma: primeiramente é importante entender que o portador de diabetes tipo II, consegue produzir insulina.

E a diferença está necessariamente como o corpo metabolizará a glicose que a principal fonte de energia. O paciente portador da doença no tipo II, enfrenta uma resistência à presença da insulina ou ainda não produz insulina suficiente para que os níveis de glicose no sangue fiquem normais. E o que acontece é que se o corpo não consegue produzir insulina suficiente ou resiste à insulina, a glicose em vez de ir para a célula, fica no sangue.

Diabetes Gestacional

A diabetes mellitus gestacional ou intolerância à glicose na gravidez, acontece quando existe uma condição de hiperglicemia, que acontece quando o aumento dos níveis de glicose aumentam no sangue. Este tipo de diabetes não se sabe muito bem como ocorre, porém entende-se que devido a uma maior concentração de hormônios durante a gravidez, causa prejuízos a ação da insulina, fazendo com que em alguns momentos, a glicose esteja um pouco mais alta.

Esta condição acontece geralmente em 4% das gestações e basicamente ela se cura logo após o parto. Porém, a mulher que teve diabetes gestacional está propensa a desenvolver o diabetes tipo II ao longo da vida. Assim, o acompanhamento com o médico se torna extremamente importante.

E os sintomas?

diabetes

Cuide do seu corpo

O diabetes tipo 1 possui sintomas bem definidos e que aparecem rapidamente quando o problema se instala. São eles:

  • Vontade de urinar diversas vezes ao dia;
  • Fome frequente;
  • Sede constante;
  • Perda de peso (em alguns casos ela ocorre mesmo com a fome excessiva);
  • Fraqueza;
  • Fadiga;
  • Nervosismo;
  • Mudanças de humor;
  • Náusea e vômito.

Ainda podem ser sintomas de diabetes Tipo I, pele avermelhada quente e seca, dor abdominal, respiração rápida e profunda, dificuldades para acordar. Todos estes sintomas podem aparecer quando se fala de diabetes tipo I.

No diabetes tipo II, os sintomas demoram aparecer, já que muitas vezes o diabetes tipo II demora anos para que seja realmente constatada no indivíduo, pois ela é gradual, ou seja, ela surge aos poucos devido – em sua grande maioria – uma vida sedentária. Entretanto, alguns sintomas podem ocorrer como:

  • Infecções frequentes. Alguns exemplos são bexiga, rins, pele e infecções de pele;
  • Feridas que demoram para cicatrizar;
  • Alteração visual (visão embaçada);
  • Formigamento nos pés e furúnculos;
  • Vontade de urinar diversas vezes;
  • Fome frequente;
  • Sede constante.

Ainda existem os fatores de risco para o diabetes tipo II, que são:

Idade acima de 45 anos;

Obesidade e sobrepeso;

Diabetes gestacional anterior;

Histórico familiar de diabetes tipo 2;

Pré-diabetes;

Sedentarismo;

Baixos níveis de colesterol HDL;

Triglicerídeos elevados;

Hipertensão;

Consumo elevado de álcool.

Chia tem poder antioxidante

chia

Sementes de Chia

Recentemente a Unicamp divulgou um pesquisa em que testou o uso de chia. A pesquisa revelou que o grão pode ser benéfico contra o diabetes, pois contém substância antioxidante na semente e no óleo. Além de ser nutritiva, pode ajudar na prevenção da doença.

 

A diabetes é uma doença silenciosa, principalmente em seu tipo II, pois a pessoa pode ter e ainda não saber. E quando descobre é por outros problemas, não necessariamente por algum sintoma, já que os sintomas aqui citados, em vários momentos são deixados despercebidos. Diabetes pode ser letal e todo o cuidado é pouco. Seu não controle, pode levar o indivíduo à cegueira, insuficiência renal, disfunção erétil e em nos casos mais severos, amputação de membros. Além disso, os médicos alertam: O diabetes pode ser mais perigoso na terceira idade, pois, além dos problemas econômicos e a dificuldade em controlar os medicamentos ou ainda os problemas de se aplicar a insulina, muitas vezes a própria família atrapalha todo o tratamento, quando oferece doces ao paciente doente.

Lembrando aqui, que independente de ser diabético ou não, é muito importante que o idoso busque ter uma alimentação saudável e procure periodicamente especialistas da saúde, inclusive o nutricionista.

 Praticar atividade física é muito importante para manter uma vida saudável procure orientação médica sempre para saber o que é ideal para você ou o seu familiar.

A doença pode assustar, mas com o diagnóstico e o tratamento precoce é possível reduzir o risco das complicações
que o diabetes pode provocar, por isso, cuide bem da sua saúde e de seus familiares, e esteja sempre atento aos cuidados com os idosos.

Prevenção para uma uma vida com longevidade saudável e mais feliz, conte conosco para isso.

Consulte seu médico. Nenhuma pesquisa na internet vai substituir a orientação do profissional.

Para saber mais, acompanhe as notícias da Cuidar Center Care para os idosos, familiares e profissionais de saúde aqui no blog e também no Facebook e fale conosco sempre que precisar!

Conteúdo Relacionado:

A importância da nutrição para o idoso 

Como deve ser a alimentação para os idosos