Posts

atividade-fisica-para-idosos

Vamos falar de atividade física na melhor idade?

Como ter mais saúde na melhor idade com a prática de exercícios físicos

A construção muscular do corpo humano ocorre na infância e adolescência. Aos 25 anos de idade, alcançamos o pico e a partir daí, já começa o processo degenerativo. Em algum ponto, varia de pessoa para pessoa, na década dos 25 a 35 anos esse retrocesso é percebido. E, podem ocorrer problemas relacionados a diversas áreas do corpo: ósseas, articulares, vasculares, neoplasias (câncer) que é o mal funcionamento do sistema imune, entre outros.

“No pain no gain” tão usado em redes sociais faz todo sentido em termos de vida saudável para a terceira idade. A partir dos 45 anos, além da perda de massa óssea, o nosso corpo começa a perder massa magra, por ano a perda gira em torno de 0,500kg. A reposição dessa musculatura só pode ser feita através da prática de atividade física, que também traz inúmeros benefícios e torna o processo de envelhecimento menos nocivo e mais lento.

capacidade-física-idosos

Para o idoso que pratica atividade com regularidade, o considerado atleta master, essa perda só começa a acontecer depois dos 70 anos. Porém, infelizmente, esse grupo é muito minoritário. 2

Para quem já está na terceira idade e ainda não está praticando, procure uma orientação médica antes de começar qualquer prática. Cada caso é um, e o médico da área de gerontologia e o educador físico que devem fazer a avaliação física. Também é fundamental que seja feito o acompanhamento e exames com regularidade.

 

Esporte é vida! A conscientização da importância dessa prática é fundamental. Boa parte dos idosos atuais, vieram de uma geração que muitas vezes não tinham esse entendimento.

 

Entenda esta realidade: já nascemos morrendo

Muita dificuldade para realizar os movimentos, atrofia muscular, corpo curvado, são algumas das limitações que podem ser evitadas ou minimizadas com maior flexibilidade, que é estimulada através da prática física. Não adianta apenas viver mais, aumentar a expectativa de vida da população. É preciso viver mais e com mais qualidade.

Os frutos de bons hábitos são percebidos a longo prazo. O tecido muscular através dos estímulos ficará cada vez melhor: postura correta, corpo ereto, flexibilidade são alguns exemplos. E quanto mais você pratica, mais o corpo pede para ser exercitado.

O remédio para que as próximas gerações de idosos sejam mais saudáveis é a prática de exercícios. Modalidades como tênis, natação, caminhada são exemplos típicos, mas as possibilidades são diversas. Hidroginástica e pilates também são muito indicados.

Existem ainda muitos mitos relacionados a prática de atividades físicas na terceira idade. Por muito tempo, por exemplo, se teve o mito de que musculação, que é o exercício de força, não era recomendado para idosos e que a natação era recomendada por não ter grande impacto nas articulações, outras correntes dizem que a água não previne esses impactos de maneira real, mas o que interessa, é que hoje já se faz em grande parte da recomendação exercício de força.

 

Explicando como funciona o treino de força 4

Na contração muscular é puxado o tendão que força o osso (isso acontece tanto na água quanto no ar) esse processo já é exercício de força. E, é a força do tendão no osso que estimula a calcificação.

As pernas sustentam e dão equilíbrio ao corpo. Além do exercício aeróbio, para ter o sistema cardiorrespiratório funcionando melhor, o treino de força, principalmente a musculação, e, de membros inferiores, é importante para garantir a autonomia do indivíduo no caminhar, na prática das atividades de rotina. O exercício aeróbio entra como um complemento.

Na verdade, eles não são totalmente dissociados, o que existe é a predominância de uma das modalidades, ou o exercício é mais de força ou mais cárdio. Exemplo: quando você sobe e desce a escada, arruma a cama, varre a casa, você está trabalhando a força e a respiração.

 

Entenda que exercício é medicamento e tenha uma memória afiada cerebro-do-idoso

Com o envelhecimento, o cérebro vai perdendo conectividade, apenas a memória de longo prazo é mais estável. Você sabia que as atividades de nível moderado ou intenso, além dos benefícios físicos já mencionados atuam nas funções do cérebro? O processo funciona da seguinte maneira: com a prática da atividade física ocorre a produção de neurotransmissores, esses são transferidos de um neurônio para o outro através das sinapses, que fazem a manutenção dessas funções. Então, nada de perder tempo, estimule seu cérebro através de exercícios físicos!

 

 

Vamos então, é hora de praticar!

O profissional de educação física é o indicado para fazer o acompanhamento e a adaptação dos exercícios para o idoso. Ele vai fazer essa seleção de exercícios de acordo com o perfil do paciente, usando critérios e definindo volume, carga, frequência e intensidade. O cuidador também pode acompanhar os idosos nesses locais, não monitorar. Em outra postagem, leia aqui, demos dicas sobre a escolha de um cuidador. atividade-fisica-na-terceira-idade-com-cuidador

Se tiver possibilidades de escolha faça a que for mais interessante, considere critérios que são importantes para você e junto com o profissional defina suas metas. Outra opção, é utilizar os espaços públicos, como as academias da saúde, implementadas pelo Ministério da Saúde

Comente com seus amigos e familiares e busque incentivo. A ajuda de pessoas queridas é fundamental no processo e na continuidade da prática de atividades também, já que eles podem te ajudar através da motivação. Mas, lembre-se o principal responsável pela mudança é você.

E lembre-se, não é só os exercícios físicos, mas a prática de qualquer atividade que utilize força e respiração nos diversos níveis são importantes e devem ser observadas. Se auto eduque, auto incentive, cumpra suas metas, no futuro você irá colher uma vida mais saudável e com qualidade.

Lembrando que apenas o profissional da saúde qualificado poderá diagnosticar, tratar e acompanhar de forma consistente o paciente. Consulte seu médico, este texto não substitui a orientação do seu médico.

Para saber mais, acompanhe as notícias da Cuidar Center Care para os idosos, familiares e profissionais de saúde aqui no blog e também no Facebook e fale conosco sempre que precisar!

 

animais-e-idosos

A ajuda de animais na qualidade de vida dos idosos

Veja como animais podem auxiliar no tratamento de pacientes e quais devem ser os cuidados.

 amimais-em-casaAnteriormente, postamos aqui no blog, uma série de textos sobre os profissionais qualificados que, juntamente com a família e o cuidador de idosos, vão melhorar a qualidade de vida dos idosos. São eles: o fisioterapeuta, o fonoaudiólogo, o podólogo e o nutricionista. Nesta nova série sobre o Bem-Estar dos idosos, nós vamos abordar outros temas como vida sexual, doenças psicológicas, como conviver com determinadas doenças crônicas e sempre ressaltando a importância da família e do cuidador para que a vida dos idosos seja sempre a melhor possível! Afinal, estamos falando da melhor idade!

Hoje, vamos abordar um assunto muito interessante que possui estudos comprovados de sua eficiência: o auxílio dos animais na melhora da qualidade de vida dos idosos. Algumas pessoas ainda duvidam dessa eficácia, de como o convívio com animais pode melhorar o tratamento de determinadas doenças e até mesmo fazer com que os idosos se sintam mais motivados e não venham a desenvolver doenças psicológicas, como a depressão entre outros. As dicas aqui dadas, deverão antes de tudo, ser discutidas com os profissionais que estão próximos ao paciente, com o próprio cuidador que estará preparado para administrar o tempo do idoso com o animal e com os diversos familiares. Tudo isso deve ser pensando e preparado, pois, animais também precisam de cuidados específicos. E é importante que todo o conjunto funcione bem, para que os resultados sejam melhores possíveis.

Estudos sobre a melhora da qualidade de vida

companhia-para-o-idoso Os estudos em relação à melhora da qualidade de vida com a presença dos animais não é novidade. Na verdade, já é um assunto discutido e debatido há pelo menos 10 anos, pois, desde então, sempre se encontra uma nova vantagem nesta convivência. Em 2002, um estudo realizado com pessoas de diferentes idades (entre 10 e 90 anos), mediu e comparou a frequência cardíaca e pressão arterial, em pessoas que conviviam com animais e pessoas que não conviviam. E o resultado não poderiam ser outro. Pessoas que tinham convívio com o animal tinham a taxas de frequência cardíaca e a pressão arterial mais baixa que pessoas que não conviviam. Em países como os Estados Unidos, existem sites específicos onde se podem encontrar instituições, que vão ajudar a selecionar o tipo de animal para cada caso de idoso. Eles, além de ajudar a selecionar o tipo de animal, ainda auxiliam na adoção do animal e algumas empresas na adaptação do animal com o idoso.

Aqui no Brasil, mais precisamente na nossa região, não foi encontrada nenhuma empresa com esta proposta. Mas a Cuidar Center Care está sempre atenta a estas novidades e sempre procurando por boas parceiras.

As principais razões para idosos terem contato com os animais

Os estudos sempre se deparam com os mesmos resultados e com as mesmas situações, quando o assunto é a influência dos animais na vida dos idosos. E todas as melhoras explicadas acima se devem justamente pelo envolvimento e pela troca de emoções que acontece entre os animais e os idosos. Vamos citar aqui 5 benefícios de se estar em contato com o animalzinho.

Companhia

Mesmo com o cuidador de idoso presente e com toda a família dando o apoio, em muitos casos o idoso pode se sentir sozinho e acabar desenvolvendo um quadro de solidão e depressão. A presença de um cão, por exemplo, pode ser o instrumento necessário evitar este tipo de acontecimento e alegrar a vida do idoso. Tudo isso acontece por que os cães nunca estão indisponíveis ou fora do seu horário de serviço. Além disso, ter um cão pode ajudar a moldar uma rotina e ajudar a melhorar a personalidade do paciente.

Ter uma rotina

Em casos em que o idoso esteja sofrendo de doenças que afetam a memória como o Alzheimer, ter uma rotina específica e que o ajude a associar horários com “deveres”, faz com que este responda melhor ao tratamento. Cuidar de um cão, por exemplo, não é algo tão complicado e ajudará a criar esta rotina.

Exercícios

Independentemente de qualquer idade ou situação, fazer exercícios regulares, faz do conjunto das regras para manter a saúde em dia, a presença de um animal, principalmente cachorros, auxiliam nesta tarefa. As vezes nem precisa sair da própria residência para fazer esta atividade, o próprio quintal de casa é um ótimo lugar! E os animais adoram!

Redução de Estresse

Idosos que possuem animais em casa, são menos estressados. Isto é comprovado cientificamente   em um estudo realizado com idosos que possuem um animal e que não possuem. O motivo desta redução de estresse ainda não foi solucionado, mas, pode ter várias razões, como a necessidade do exercício físico para ambos, ou a sensação que o idoso tem de ter um amigo para desabafar e enfrentar todos os desafios que a vida pode propor. Ou simplesmente seja a cauda abanando todos os dias quando você acorda.

Sensação de Segurança

Cachorros passam segurança, e esta sensação de que além do cuidador e da família, existe um guarda que está sempre disponível, faz com o que o idoso se sinta mais seguro. E isso acontece, mesmo que o seu grande guarda pese apenas 1 quilo.

Tudo precisa ser planejado

Ter um animal faz com que o idoso se sinta importante novamente e o animal demonstra isso de diversas maneiras. Entretanto, para que o animal seja o instrumento para o tratamento, é importante que a família discuta a ideia com o cuidador, para que juntos possam montar um plano, para que esta vantagem seja realmente uma vantagem e não mais uma situação na vida da família. Às vezes, nem é preciso que o animal more junto com o idoso, apenas algumas simples visitas já podem fazer uma grande diferença no que se refere ao bem-estar dele.
segurança-para-o-idosoAlém disso, é importante que exista empatia entre o idoso e o animal, fazendo-se necessário antes de tudo conhecer a personalidade do idoso e saber suas preferências e seus gostos.

 

A Cuidar Center Care está sempre atenta a estas situações, pois, acima de tudo, buscamos o que a própria família busca: qualidade de vida para o paciente. Mas lembre-se, antes de adotar, comprar ou receber visitas de um animal consulte seu médico a respeito disso, cada caso é um e este texto não substitui a orientação do seu médico.

Para saber mais, acompanhe as notícias da Cuidar Center Care para os idosos, familiares e profissionais de saúde aqui no blog e também no Facebook