Posts

Atendimento domiciliar - orientação

Nova vida aos aposentados

Vamos aproveitar a data em que se comemora o dia dos aposentados e falar um pouco sobre o novo estilo de vida deste grupo que cresce a cada dia?

Há alguns anos, se falássemos sobre o assunto aposentados a conotação seria outra, no tempo em que ser aposentado era sinônimo de uma vida pacata e triste, mas foi-se esse tempo. Hoje, temos uma geração de aposentados vivendo com plenitude cada vez mais e com um novo olhar sobre o momento em que estão na vida, cuidando de todas as áreas da vida com calma e consciência e de um jeito mais leve. Aposentados em casa - tempo de qualidade com quem amamos

Entenda o valor do tempo, esteja atento a cada dia vivido, não anule sua experiência de vida e siga seu ritmo

O tempo passa rápido demais. A fase da aposentadoria é o momento de viver com mais tranquilidade e intensidade, por mais incoerente que isso possa parecer. Com a idade, as pessoas ficam menos exigentes com as outras pessoas e passam a dar mais importância em viver dias mais felizes com pessoas que amam ao seu lado e usufruir o que foi conquistado ao longo da vida. Ter uma atitude assim é muito saudável. E para aqueles que ainda não estão vivendo esta fase, tente não cobrar tanto de quem quer ir a passos mais lentos, respeite o ritmo de quem você ama. Observe também o seu ritmo é muito comum não acompanharmos as mudanças fisiológicas, mas elas são reais.

Faça pequenas mudanças diariamente, ou não e use a inocência da infância para superar o medo e o desânimo de mudar

Cuidado domiciiar para recem nascido

E você? Como tem levado a vida? Mesmo que ainda não esteja nos dias de descanso não precisa esperar os anos passarem para mudar a consciência. Comece a viver e a se cuidar já! Se você já é aposentado é possível que tenha mais tempo para se programar e incluir atividades em sua rotina. Seja praticando natação, caminhando, fazendo musculação, fisioterapia, pilates, yoga, viajando ou saindo com os amigos para dançar, fazendo terapia, o importante é estar atento, escolher oque lhe faz bem e é possível de ser aplicado à sua rotina e principalmente ter todos os acompanhamentos médicos especializados de acordo com o que você precisar.

Já falamos sobre essas especialidades aqui no blog também: sobre nutrição para idosos, sobre fonoaudiologia,e como a terapia ocupacional é benéfica, sobre a  importância da fisioterapia e falaremos muito mais sobre todas essas atividades posteriormente. Se você está com o seu pai, mãe, avó ou avó ou algum familiar que está um pouco sedentário busque incentivá-lo a mudar, existem uma infinidade de opções de atividades mais leves, como a musicoterapia, por exemplo, e que pode ser adequadas à cada um e será muito benéfica, leia mais sobre musicoterapia aqui. É fundamental que toda prática de atividade física ou atividade extra rotina seja devidamente monitorada e tenha o acompanhamento consistente e, é neste momento que podemos auxiliar você e sua família.

Somos uma empresa que trabalha exclusivamente com atendimento particular e temos em nosso portfólio clientes que estão conosco há mais de duas gerações, isso é para nós motivo de muito orgulho. 

Se permita ter um atendimento domiciliar, quando se aposentar ou se tiver algum parente doente ou idoso.

Algumas pessoas, mesmo aposentadas, ainda estão dotadas de autonomia, outras precisarão de suporte, de indicações médicas para restringir as atividades de acordo com as capacidades, precisarão de acompanhamento no dia-a-dia por esse motivo nós contamos com os melhores profissionais para que você se sinta confortável e seguro ao contratar os nossos serviços e temos os nossos processos para traçar o perfil dos profissionais ideais para cada caso, cada família.

Clique aqui entre em contato conosco e agende uma visita.

Para quem trabalhou tantos anos e investiu tanto em sua família, ter a tranquilidade e poder ser cuidado em casa com uma equipe de profissionais multidisciplinar de qualidade é um privilégio e um retorno que a vida e as pessoas que amam decide oferecer. Tenha com a Cuidar Center Care a ajuda necessária nesses momentos com todo o suporte para a gestão e equipe multidisciplinar para o cuidado domiciliar

Para os aposentados é importante ter profissionais qualificados dando todo suporte necessário, valorizamos o investimento feito e a confiança que é depositada em nós

Já mencionamos em outra postagem, que ter uma empresa fazendo toda a gestão do cuidado domiciliar além de garantir uma recuperação mais tranquila, preservar a saúde emocional de todos os que estão em volta, pois passamos a dividir com vocês todo o contexto e estaremos atuando e fazendo atividades que antes sobrecarregavam os familiares. Priorize a convivência saudável para todos de sua família.

Ficou interessado e quer saber mais sobre o tema? Entre em contato conosco e vamos conversar mais sobre este assunto.

Para saber mais, acompanhe as notícias da Cuidar Center Care para os idosos, familiares e profissionais de saúde aqui no blog e também no Facebook e fale conosco sempre que precisar!

Consulte seu médico. Nenhuma pesquisa na internet vai substituir a orientação do profissional.

 

atividade-fisica-para-idosos

Vamos falar de atividade física na melhor idade?

Como ter mais saúde na melhor idade com a prática de exercícios físicos

A construção muscular do corpo humano ocorre na infância e adolescência. Aos 25 anos de idade, alcançamos o pico e a partir daí, já começa o processo degenerativo. Em algum ponto, varia de pessoa para pessoa, na década dos 25 a 35 anos esse retrocesso é percebido. E, podem ocorrer problemas relacionados a diversas áreas do corpo: ósseas, articulares, vasculares, neoplasias (câncer) que é o mal funcionamento do sistema imune, entre outros.

“No pain no gain” tão usado em redes sociais faz todo sentido em termos de vida saudável para a terceira idade. A partir dos 45 anos, além da perda de massa óssea, o nosso corpo começa a perder massa magra, por ano a perda gira em torno de 0,500kg. A reposição dessa musculatura só pode ser feita através da prática de atividade física, que também traz inúmeros benefícios e torna o processo de envelhecimento menos nocivo e mais lento.

capacidade-física-idosos

Para o idoso que pratica atividade com regularidade, o considerado atleta master, essa perda só começa a acontecer depois dos 70 anos. Porém, infelizmente, esse grupo é muito minoritário. 2

Para quem já está na terceira idade e ainda não está praticando, procure uma orientação médica antes de começar qualquer prática. Cada caso é um, e o médico da área de gerontologia e o educador físico que devem fazer a avaliação física. Também é fundamental que seja feito o acompanhamento e exames com regularidade.

 

Esporte é vida! A conscientização da importância dessa prática é fundamental. Boa parte dos idosos atuais, vieram de uma geração que muitas vezes não tinham esse entendimento.

 

Entenda esta realidade: já nascemos morrendo

Muita dificuldade para realizar os movimentos, atrofia muscular, corpo curvado, são algumas das limitações que podem ser evitadas ou minimizadas com maior flexibilidade, que é estimulada através da prática física. Não adianta apenas viver mais, aumentar a expectativa de vida da população. É preciso viver mais e com mais qualidade.

Os frutos de bons hábitos são percebidos a longo prazo. O tecido muscular através dos estímulos ficará cada vez melhor: postura correta, corpo ereto, flexibilidade são alguns exemplos. E quanto mais você pratica, mais o corpo pede para ser exercitado.

O remédio para que as próximas gerações de idosos sejam mais saudáveis é a prática de exercícios. Modalidades como tênis, natação, caminhada são exemplos típicos, mas as possibilidades são diversas. Hidroginástica e pilates também são muito indicados.

Existem ainda muitos mitos relacionados a prática de atividades físicas na terceira idade. Por muito tempo, por exemplo, se teve o mito de que musculação, que é o exercício de força, não era recomendado para idosos e que a natação era recomendada por não ter grande impacto nas articulações, outras correntes dizem que a água não previne esses impactos de maneira real, mas o que interessa, é que hoje já se faz em grande parte da recomendação exercício de força.

 

Explicando como funciona o treino de força 4

Na contração muscular é puxado o tendão que força o osso (isso acontece tanto na água quanto no ar) esse processo já é exercício de força. E, é a força do tendão no osso que estimula a calcificação.

As pernas sustentam e dão equilíbrio ao corpo. Além do exercício aeróbio, para ter o sistema cardiorrespiratório funcionando melhor, o treino de força, principalmente a musculação, e, de membros inferiores, é importante para garantir a autonomia do indivíduo no caminhar, na prática das atividades de rotina. O exercício aeróbio entra como um complemento.

Na verdade, eles não são totalmente dissociados, o que existe é a predominância de uma das modalidades, ou o exercício é mais de força ou mais cárdio. Exemplo: quando você sobe e desce a escada, arruma a cama, varre a casa, você está trabalhando a força e a respiração.

 

Entenda que exercício é medicamento e tenha uma memória afiada cerebro-do-idoso

Com o envelhecimento, o cérebro vai perdendo conectividade, apenas a memória de longo prazo é mais estável. Você sabia que as atividades de nível moderado ou intenso, além dos benefícios físicos já mencionados atuam nas funções do cérebro? O processo funciona da seguinte maneira: com a prática da atividade física ocorre a produção de neurotransmissores, esses são transferidos de um neurônio para o outro através das sinapses, que fazem a manutenção dessas funções. Então, nada de perder tempo, estimule seu cérebro através de exercícios físicos!

 

 

Vamos então, é hora de praticar!

O profissional de educação física é o indicado para fazer o acompanhamento e a adaptação dos exercícios para o idoso. Ele vai fazer essa seleção de exercícios de acordo com o perfil do paciente, usando critérios e definindo volume, carga, frequência e intensidade. O cuidador também pode acompanhar os idosos nesses locais, não monitorar. Em outra postagem, leia aqui, demos dicas sobre a escolha de um cuidador. atividade-fisica-na-terceira-idade-com-cuidador

Se tiver possibilidades de escolha faça a que for mais interessante, considere critérios que são importantes para você e junto com o profissional defina suas metas. Outra opção, é utilizar os espaços públicos, como as academias da saúde, implementadas pelo Ministério da Saúde

Comente com seus amigos e familiares e busque incentivo. A ajuda de pessoas queridas é fundamental no processo e na continuidade da prática de atividades também, já que eles podem te ajudar através da motivação. Mas, lembre-se o principal responsável pela mudança é você.

E lembre-se, não é só os exercícios físicos, mas a prática de qualquer atividade que utilize força e respiração nos diversos níveis são importantes e devem ser observadas. Se auto eduque, auto incentive, cumpra suas metas, no futuro você irá colher uma vida mais saudável e com qualidade.

Lembrando que apenas o profissional da saúde qualificado poderá diagnosticar, tratar e acompanhar de forma consistente o paciente. Consulte seu médico, este texto não substitui a orientação do seu médico.

Para saber mais, acompanhe as notícias da Cuidar Center Care para os idosos, familiares e profissionais de saúde aqui no blog e também no Facebook e fale conosco sempre que precisar!

 

cuidado-paliativo

Você sabia que os cuidados paliativos vão muito além de cuidados físicos?

O sentido nobre para os cuidadores de idosos e profissionais da saúde ao trabalharem com cuidados paliativos

O processo do fim da vida deve ser cuidado da mesma maneira, ou até melhor, do que se trata a vida, e isso é feito com os cuidados paliativos. Esse assunto muitas vezes ainda é pouco falado ou estudado em nosso país. Para que você tenha ideia, o Brasil há alguns anos era o terceiro pior lugar do mundo para morrer, ficando atrás apenas de Uganda e Índia.

O profissional da saúde não pode tirar a dor da pessoa, mas pode amparar para que o paciente tenha dentro do possível, qualidade de vida antes da morte. O sofrimento que não é minimamente cuidado ou não tem a devida atenção pode gerar a vontade de morrer.

Quando estão limitadas as pessoas ficam muito mais sensíveis e, essa sensibilidade aumenta a percepção, vamos lembrar que estamos tratamento de relações humanas, então para elas é bem mais fácil perceber quando o cuidador ou profissional de saúde que a acompanha está minimizando a verdade ou não está ali presente e inteiramente dedicada no lugar, na rotina. Pense como deve ser importante para o idoso, ou a pessoa em cuidado, ter segurança e confiança de que está sendo bem cuidada e amparada.

Entenda o sentido de se fazer e ter o cuidado paliativo

O significado da palavra paliativo é eficácia momentânea e incompleta; meios ou métodos que trazem melhoras, mas não eliminam a causa.

O cuidado paliativo é a assistência à saúde que cuida do idoso ou pessoa em qualquer faixa etária, com doença grave, incurável, em progressão e ameaçando a continuidade da vida. É observada a perspectiva de vida (anos, meses, dias, horas) do paciente e tenta-se trabalhar com um tratamento multiprofissional que tem o objetivo de melhorar a qualidade de vida do paciente, não apenas física, mas inclusive de significados e sentido existencial.

Áreas fragilizadas

Quando o indivíduo sente a real percepção de que a morte está mais próxima, e essa percepção de fato acontece, quando ele sabe que a doença é grave, todos esses sentimentos trazem sofrimento para ele. O sofrimento:

  • Emocional – Busca entender o porquê da morte, doença estar acontecendo
  • Físico – O corpo e as dores
  • Familiar – A falta, o lugar não preenchido dessa pessoa
  • Social – Entre as pessoas da convivência saudável que podemos ser sem máscaras
  • Espiritual – O sentido de ser e a possibilidade e entrar no estado de amorosidade, essência do ser.

7

O sofrimento espiritual, muitas vezes subestimado deve ser considerado, apesar de ser pouco ou nada falado pelo profissional da saúde.

No fim da vida, independente do histórico da vida, a pessoa quando está próxima de morrer, vai entrar na essência do ser, no estado da amorosidade. E possibilitá-la a fazer alguns ajustes, nos últimos dias a pessoa não vai querer saber de dinheiro, carro, ela vai querer amar, se sentir amado, perdoar ser perdoado, agradecer, se despedir. O cuidador e toda a equipe de profissionais é quem pode orientar e dar suporte nesse sentido também.

Para ser tratado de maneira mais completa, o paciente normalmente vai precisar de uma equipe multidisciplinar. O bom profissional vai saber diagnosticar, ouvir e direcionar à outras especialidades. Além dos cuidados básicos, a perspectiva bem orientada ao cuidador de idosos, sabe que o foco do seu trabalho não está na doença do paciente, sabe que o mais importante é o indivíduo, aquela pessoa para o qual ele se propôs a cuidar.

“Olhar” para o paciente e não para a doença. Perceber anseios e necessidades, que muitas vezes não são ditas.

 

Conhecer o perfil do profissional de saúde é fundamental

A formação técnica, com boa qualificação, vocação e talento são fundamentais. E a empatia altamente aplicada e de forma equilibrada para ambas as partes. Além disso, a união familiar ajuda no processo do paciente, ao passo que o equilíbrio é percebido quando comparados tratamentos com e sem a participação de pessoas queridas próximas.

A origem da palavra paliativo vem do latim, Palium, que é o manto que era colocado nas costas dos cavalheiros para proteger das intempéries. Assim é a natureza da doença. O paliativo cuida, protege, mas não impede a doença. 

 

Classificação de cuidados

São considerados, basicamente, 4 níveis de cuidados paliativos:

  • Assistência ambulatorial,
  • Assistência domiciliar,
  • Ajustes rápidos,
  • Hóspice –  esse último já na fase final de vida.

Médico, enfermeiro, psicólogo, ou serviço social, por exemplo, podem compor uma equipe básica, mas para cada caso é estruturada uma equipe multidisciplinar.  Fisioterapeuta, terapeuta ocupacional, dentista, nutricionista, fonoaudiólogo, farmacêutico, podem ser chamados pontualmente. Existe também o profissional de capelania. No atendimento domiciliar, esses recursos humanos tendem a ser ampliados até que no hóspice, se tenha o máximo de pessoas envolvidas na equipe, dependendo do caso. Em outra postagem, leia aqui falamos sobre o processo de desospitalização, que ampara e monitora de forma constante o paciente.

5O cuidado paliativo não vai acabar com a dor, mas vai ajudar o paciente a retomar a sua vida. É a chance em vida, a oportunidade que aquela pessoa tem de acertar, fazer alguns ajustes em vida, entender e aceitar a morte antes de partir.

Durante os processos e tratamento, e equipe tem de estar preparada para fazer ajustes. Oque se busca é controlar a dor do paciente, a ajuda da terapia ocupacional, orientação para que o paciente ou idoso faça o gasto equilibrado de energia, processos de reabilitação, o autocuidado, e para cada caso usar a estratégia que serão saudáveis para a energia do paciente.

Ao contrário do que muitos dizem, os índices de estresse profissional de quem trabalha com cuidados paliativos é um dos mais baixos. Aí está a diferença de um bom profissional, ele vai entender que ele não trabalha com a morte, ele trabalha com pessoas em condições terminais realizando um trabalho ético e consistente, valorizando a vida, estando ali do lado. Ele trabalha com a vida.

Lembrando sempre que cada paciente é único, e apenas o profissional da saúde qualificado poderá diagnosticar, tratar e acompanhar de forma consistente o paciente. Consulte seu médico a respeito disso, cada caso é um e este texto não substitui a orientação do seu médico.

Deixe seu comentário e sua sugestão aqui no blog ou na nosso Facebook. Vamos continuar falando sobre esse e outros assuntos em nossas postagens. Acompanhe as notícias da Cuidar Center Care para os idosos, familiares e profissionais de saúde aqui no blog e também no Facebook.

animais-e-idosos

A ajuda de animais na qualidade de vida dos idosos

Veja como animais podem auxiliar no tratamento de pacientes e quais devem ser os cuidados.

 amimais-em-casaAnteriormente, postamos aqui no blog, uma série de textos sobre os profissionais qualificados que, juntamente com a família e o cuidador de idosos, vão melhorar a qualidade de vida dos idosos. São eles: o fisioterapeuta, o fonoaudiólogo, o podólogo e o nutricionista. Nesta nova série sobre o Bem-Estar dos idosos, nós vamos abordar outros temas como vida sexual, doenças psicológicas, como conviver com determinadas doenças crônicas e sempre ressaltando a importância da família e do cuidador para que a vida dos idosos seja sempre a melhor possível! Afinal, estamos falando da melhor idade!

Hoje, vamos abordar um assunto muito interessante que possui estudos comprovados de sua eficiência: o auxílio dos animais na melhora da qualidade de vida dos idosos. Algumas pessoas ainda duvidam dessa eficácia, de como o convívio com animais pode melhorar o tratamento de determinadas doenças e até mesmo fazer com que os idosos se sintam mais motivados e não venham a desenvolver doenças psicológicas, como a depressão entre outros. As dicas aqui dadas, deverão antes de tudo, ser discutidas com os profissionais que estão próximos ao paciente, com o próprio cuidador que estará preparado para administrar o tempo do idoso com o animal e com os diversos familiares. Tudo isso deve ser pensando e preparado, pois, animais também precisam de cuidados específicos. E é importante que todo o conjunto funcione bem, para que os resultados sejam melhores possíveis.

Estudos sobre a melhora da qualidade de vida

companhia-para-o-idoso Os estudos em relação à melhora da qualidade de vida com a presença dos animais não é novidade. Na verdade, já é um assunto discutido e debatido há pelo menos 10 anos, pois, desde então, sempre se encontra uma nova vantagem nesta convivência. Em 2002, um estudo realizado com pessoas de diferentes idades (entre 10 e 90 anos), mediu e comparou a frequência cardíaca e pressão arterial, em pessoas que conviviam com animais e pessoas que não conviviam. E o resultado não poderiam ser outro. Pessoas que tinham convívio com o animal tinham a taxas de frequência cardíaca e a pressão arterial mais baixa que pessoas que não conviviam. Em países como os Estados Unidos, existem sites específicos onde se podem encontrar instituições, que vão ajudar a selecionar o tipo de animal para cada caso de idoso. Eles, além de ajudar a selecionar o tipo de animal, ainda auxiliam na adoção do animal e algumas empresas na adaptação do animal com o idoso.

Aqui no Brasil, mais precisamente na nossa região, não foi encontrada nenhuma empresa com esta proposta. Mas a Cuidar Center Care está sempre atenta a estas novidades e sempre procurando por boas parceiras.

As principais razões para idosos terem contato com os animais

Os estudos sempre se deparam com os mesmos resultados e com as mesmas situações, quando o assunto é a influência dos animais na vida dos idosos. E todas as melhoras explicadas acima se devem justamente pelo envolvimento e pela troca de emoções que acontece entre os animais e os idosos. Vamos citar aqui 5 benefícios de se estar em contato com o animalzinho.

Companhia

Mesmo com o cuidador de idoso presente e com toda a família dando o apoio, em muitos casos o idoso pode se sentir sozinho e acabar desenvolvendo um quadro de solidão e depressão. A presença de um cão, por exemplo, pode ser o instrumento necessário evitar este tipo de acontecimento e alegrar a vida do idoso. Tudo isso acontece por que os cães nunca estão indisponíveis ou fora do seu horário de serviço. Além disso, ter um cão pode ajudar a moldar uma rotina e ajudar a melhorar a personalidade do paciente.

Ter uma rotina

Em casos em que o idoso esteja sofrendo de doenças que afetam a memória como o Alzheimer, ter uma rotina específica e que o ajude a associar horários com “deveres”, faz com que este responda melhor ao tratamento. Cuidar de um cão, por exemplo, não é algo tão complicado e ajudará a criar esta rotina.

Exercícios

Independentemente de qualquer idade ou situação, fazer exercícios regulares, faz do conjunto das regras para manter a saúde em dia, a presença de um animal, principalmente cachorros, auxiliam nesta tarefa. As vezes nem precisa sair da própria residência para fazer esta atividade, o próprio quintal de casa é um ótimo lugar! E os animais adoram!

Redução de Estresse

Idosos que possuem animais em casa, são menos estressados. Isto é comprovado cientificamente   em um estudo realizado com idosos que possuem um animal e que não possuem. O motivo desta redução de estresse ainda não foi solucionado, mas, pode ter várias razões, como a necessidade do exercício físico para ambos, ou a sensação que o idoso tem de ter um amigo para desabafar e enfrentar todos os desafios que a vida pode propor. Ou simplesmente seja a cauda abanando todos os dias quando você acorda.

Sensação de Segurança

Cachorros passam segurança, e esta sensação de que além do cuidador e da família, existe um guarda que está sempre disponível, faz com o que o idoso se sinta mais seguro. E isso acontece, mesmo que o seu grande guarda pese apenas 1 quilo.

Tudo precisa ser planejado

Ter um animal faz com que o idoso se sinta importante novamente e o animal demonstra isso de diversas maneiras. Entretanto, para que o animal seja o instrumento para o tratamento, é importante que a família discuta a ideia com o cuidador, para que juntos possam montar um plano, para que esta vantagem seja realmente uma vantagem e não mais uma situação na vida da família. Às vezes, nem é preciso que o animal more junto com o idoso, apenas algumas simples visitas já podem fazer uma grande diferença no que se refere ao bem-estar dele.
segurança-para-o-idosoAlém disso, é importante que exista empatia entre o idoso e o animal, fazendo-se necessário antes de tudo conhecer a personalidade do idoso e saber suas preferências e seus gostos.

 

A Cuidar Center Care está sempre atenta a estas situações, pois, acima de tudo, buscamos o que a própria família busca: qualidade de vida para o paciente. Mas lembre-se, antes de adotar, comprar ou receber visitas de um animal consulte seu médico a respeito disso, cada caso é um e este texto não substitui a orientação do seu médico.

Para saber mais, acompanhe as notícias da Cuidar Center Care para os idosos, familiares e profissionais de saúde aqui no blog e também no Facebook

A desospitalização do idoso e a home care

Razões pela qual a  desospitalização do idoso e a contratação de uma home care é uma alternativa viável.

Promover uma desospitaliação segura para os idosos, optando pela internação domiciliar com o cuidador ou com a equipe de profissionais recomendada pelo médico, oferecendo conforto e tranquilidade de uma home care, tem sido a opção de um número cada vez maior de famílias brasileiras, e apesar de ser uma opção nova no Brasil, países como os Estados Unidos já percebem esse tipo de serviço aderido ao estilo de vida, pois lá, ele já existe há mais de um século, ou seja, podemos olhar e perceber a importância de se ter qualidade e conforto ao longo da história do home care norte americano.

Optar pela desospitalização é escolher pelo melhor atendimento e cuidados para saúde, dispondo de monitoramento constante com estrutura moderna e os melhores equipamentos em casa. E, quando a decisão de se contratar os serviços de internação domiciliar é tomada, surge a figura do cuidador de idosos, como companheiro e profissional que presta o serviço de atendimento domiciliar.

equipamentos-home careCom a home care evita-se a permanência prolongada dentro dos hospitais, sem romper o tratamento e os cuidados necessários ao paciente, entretanto, para continuar a obter os bons resultados, da mesma forma que em um hospital, o paciente precisa estar cercado de profissionais capacitados, com o suporte de uma equipe multidisciplinar com a mesma qualidade, tecnologia e conhecimento.

Fazendo um paralelo entre os benefícios percebidos, podemos citar a diminuição dos riscos de infecção hospitalar, o atendimento próximo e humanizado ao paciente, a possível diminuição de complicações clínicas, a possível rapidez na recuperação de tratamentos específicos e redução de reinternações por questões que podem ser resolvidas no próprio domicílio.

É importante ressaltar que a desospitalização não significa dar alta precoce para o paciente, e sim humanizar seu processo de recuperação. Em casa, ele pode receber todo cuidado que necessita de profissionais especializados e com a atenção e apoio da família. Além disso, o atendimento prestado em domicílio equivale ao prestado no hospital, sem os riscos de um ambiente hospitalar.

Leia o outro artigo que publicamos sobre esse mesmo tema clicando aqui!

Para saber mais, acompanhe as notícias da Cuidar Center Care para os idosos, familiares e profissionais de saúde aqui no blog e também no Facebook